A Impressão

impressão serigráfica 2A impressão serigráfica em princípio é muito fácil. Mas existem maneiras diferentes de se imprimir. Primeiro o serígrafo deve contar com uma base sólida que tanto pode ser uma mesa de impressão fabricada pela indústria especializada, quanto uma mesa comum ou bancada, desde que seja plana e bem firme. As mesas de impressão fornecidas pelas indústrias do ramo já vêm equipadas com garras metálicas as quais servem para fixar as matrizes. Essas garras (de vários tipos) estão à venda separadamente e podem ser adquiridas para uso em mesas comuns. As garras contêm dobradiças que devem ser aparafusadas na parte traseira das mesas.

Depois de fixadas a matriz nas garras metálicas, deve-se observar se o lado do tecido que está em contato com o tampo da mesa, encosta-se por inteiro. Se o quadro do tampo da mesa estiver empenado, o empenamento provocará defeitos na impressão. Se o quadro estiver empenado, uma ligeira torção no sentido contrário ao empenamento poderá resolver o problema. Se o empenamento for no tampo da mesa, a solução é utilizar outra mesa.

No lado em que a matriz foi fixada à garra, haverá um pequeno espaço ou altura, causada pela espessura da garra de metal que fica por baixo do quadro de madeira. No lado contrário, coloca-se na superfície da mesa dois calços (de metal, de cartolina, de madeira, etc.) com espessura aproximada da altura provocada pela garra, um em cada canto do quadro, de modo que este, abaixado, apoie-se nos calços. Disso resultará que, quando o quadro estiver abaixado, haverá uma certa distância livre entre o tecido da matriz e o tampo da mesa.

Quase todas as impressões são feitas com a matriz calçada da maneira que acabamos de mencionar e que se chama “impressão fora de contato”. Entretanto, existem casos, dependendo do material a ser impresso, que os calços não devem ser usados.

A consistência da tinta é muito importante para uma boa impressão. Por isso é necessário examinar este ítem antes de se iniciar a tiragem. Uma tinta muito viscosa tende a entupir o tecido enquanto outra muito rala, em virtude do seu próprio peso, passará através do tecido borrando a base de impressão. Tintas à base de água quase sempre necessitam ser um pouco diluídas com água. As tintas à base de solventes nem sempre exigem diluição mas quando isso é necessário usa-se o diluente indicado pelo fabricante.

Para diminuir um pouco a distância ente o tecido da matriz e a base de impressão ou para se conseguir uma base mais apropriada ou menos rígida que o tampo da mesa (às vezes isso é necessário), pode-se fazer sobre a mesa e no local exato onde se apoiará a matriz, uma “almofada” com uma ou mais folhas de papelão ou cartolina. As mesas fabricadas especialmente para impressão de camisetas já vêm equipadas com almofadas acolchoadas.

Embora possa ser feita por uma só pessoa, a impressão serigráfica exige, na verdade, um impressor e um ajudante. A razão principal para isso é que duas pessoas conseguem fazer três ou quatro vezes mais impressões que uma só.

Faz-se a impressão da seguinte maneira:

1 – Certifique-se de que a matriz está limpa, isenta de poeira ou outros elementos que possam obstruir as cavidades da matriz;

2 – Utilizando-se uma espátula, coloca-se dentro da matriz, no lado que está fixado à garra, uma quantidade de tinta; essa quantidade depende do tamanho da tela e do motivo a ser impresso. Use o seu bom senso.

3 – Faça marcas sobre a mesa de impressão no local onde deve ser colocado o material a ser impresso;

4 – Coloque no local marcado folhas de jornais velhos ou outro papel. Abaixe a matriz e faça as primeiras impressões puxando a tinta com o puxador de um lado ao outro da matriz, num só movimento e com a mesma pressão. As primeiras puxadas servirão apenas para impregnar o tecido da matriz com a tinta;

5 – Levante a matriz e utilize o puxador para levar a tinta ao ponto original. Desta vez a pressão deve ser suficiente apenas para levar a tinta de volta e não para faze-la passar através da matriz;

6 – Baixe a matriz e faça outra impressão e assim sucessivamente.

Somente quando a impressão sobre jornais ou outro papel estiver satisfatória, deve-se iniciar a tiragem definitiva.

Dependendo do tipo de tinta e do material a ser impresso, deve-se usar um puxador de cantos vivos ou arredondados. Siga as instruções do fabricante da tinta a esse respeito.

Ao impressor cabe a tarefa de imprimir. O ajudante deve retirar a peça impressa e colocá-la no local escolhido para secagem.

Existem casos em que se pode imprimir no sistema “ida e volta” isto é, imprime-se uma vez puxando a tinta de cima para baixo e outra vez na volta, de baixo para cima. É evidente que esse sistema agiliza a produção mas nem sempre é possível utilizá-lo.

Durante a impressão, partículas de poeira ou fios de cabelo do próprio impressor ou impressora podem obstruir o tecido da matriz impedindo a passagem de tinta num determinado ponto. Por isso o ambiente deve ser o mais limpo possível e os impressores devem trabalhar com toucas. Mas isso também nem sempre é possível. Quando acontece este tipo de obstrução da tela é necessário localizar o ponto obstruído e passar ali uma boneca de estopa embebida no solvente da tinta. Isso se faz no lado do tecido que fica em contato com base de impressão e não no lado que serve também como depósito de tinta. Logo após essa providência, volta-se a imprimir em jornais até que a impressão apresente-se novamente sem defeitos.

O tecido pode ser obstruido tambem pela secagem muito rápida da tinta, o que pode ocorrer por exemplo, em ambientes ou regiões muito secas e quentes. Neste caso maior diluição ou uso de retardadores de secagem indicados pelo fabricante da tinta será útil.

header curso de serigrafia CLIQUE AQUI

 

Deixe seu Comentário

95% da passoas que leram esse artigo, também leu os artigos abaixo

paperbackstack_550x498Fique atualizado... Conheça o Livro a Tecnologia Serigráfica

Informação de qualidade sobre a arte da Serigrafia.

BAIXE AGORA... É GRÁTIS!

Simplesmente preencha o formulário com seu melhor e-mail

Carlos Damasceno

Carlos Damasceno é um apaixonado por desenho e por arte em geral, desde desenhos em papel, a desenhos em qualquer superfície, como camisetas, chaveiros, utensílios de plástico, metal ou qualquer outra superfície. Foi exatamente por causa por isso que também passou a se interessar por serigrafia.

Website: http://www.cursodeserigrafia.org

Comentários no Facebook